Qual será o legado de Bolsonaro?

20/07/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: cartacapital.com.br

 

“Bolsonaro não vai deixar nenhum legado”, é o que afirma Kim Kataguiri (DEM-SP), deputado federal e um dos cofundadores do Movimento Brasil Livre (MBL). Para o ex-parlamentar bolsonarista, o atual chefe do executivo federal se afastou da agenda econômica liberal e, sobretudo, da luta contra a corrupção e precisa sofrer o processo de impeachment.
 

De acordo com Kataguiri, ex-aliado do presidente e um dos grandes entusiastas da destituição de Dilma Roussef do comando nação em 2016, Bolsonaro, ao atacar a democracia e as instituições, prepara um cenário de golpe, avultado agora pela sua defesa irrestrita do voto impresso.“Delegitimize o processo democrático, prepare o terreno para um golpe, para que quando ele perder as eleições ou sofrer um impeachment alega que o sistema democrático não tem legitimidade, porque não foi como ele queria”, salientou.


O afastamento político de Kataguiri e o governo federal se deu a partir de 2019, quando, conforme ressalta o deputado, Bolsonaro promovia atos antirrepublicanos, incitando seus seguidores a pedirem o fechamento do Congresso, do Supremo Tribunal Federal, além do retorno do AI-5, momento de maior repressão do regime militar.  A fim de fomentar sua crítica, o líder do MBL, lembra do atrito entre Jair e o ex-ministro Moro no que concerne à atuação da Polícia Federal. "Minha relação com o governo piorou quando o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, denunciou que Bolsonaro queria nomear um aliado à frente da PF para proteger seu filho, o senador Flavio Bolsonaro, e com sua negligência diante da pandemia”.


Por fim, o deputado dos Democratas reiterou a crítica ao atual governo, mas reafirmou seu posicionamento sobre a necessidade, à época, da saída do Partido dos Trabalhadores do poder e que o Bolsonaro representaria uma mudança importante sobretudo no que tange à diminuição do nível de corrupção. “Foi um processo. Eu acredito que este governo tem uma capacidade gigantesca de gerar atrito. A esquerda estava desgastada depois de treze anos de governo do PT. O Bolsonarismo conseguiu isso em um ano e meio”, declara.