Bolsonaro pode vetar o fundo eleitoral de quase R$ 6 Bilhões

20/07/2021

Por: Jessyanne Bezerra
Foto: Reprodução

 

O presidente Jair Bolsonaro pretende vetar o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões, aprovado pelo Congresso Nacional na semana passada com votos da bancada governista. A declaração foi dada à TV Brasil. A emissora adiantou há pouco trechos de uma entrevista exclusiva que foi ao ar às 22h30 de segunda-feira, 20.

Em entrevista na segunda (19), Bolsonaro sinalizou que deve vetar o aumento no fundo. "É uma cifra enorme, que no meu entender está sendo desperdiçada, caso ela seja sancionada. Posso adiantar para você que não será sancionada", disse em entrevista à TV Brasil.

O presidente jogou a culpa pelo aval dado ao Parlamento à proposta no vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), que liderava a sessão.

A base do governo no Congresso busca uma saída para Jair Bolsonaro vetar o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões sem comprar uma briga com o centrão, principal grupo de apoio ao presidente no Legislativo.

Uma solução levada ao Palácio do Planalto e que contou com a simpatia de integrantes do governo envolve o envio de uma mensagem modificativa ao parlamento para alterar a Lei Orçamentária Anual e reduzir o valor destinado a campanhas eleitorais para um patamar próximo de R$ 4 bilhões.

Assim, Bolsonaro não desagrada aliados, e criaria o argumento de que conseguiu diminuir o total em quase R$ 2 bilhões. O fato é que, se isso ocorrer, estará dobrando o valor em relação a 2020.

 

Os votos dos deputados do Rio Grande do Norte:

Dos deputados federais do RN, só Rafael Motta e Natália Bonavides votaram contra projeto que quase triplica fundão eleitoral. O placar foi de 278 votos contra 145 a favor e 1 abstenção. Agora o texto depende da sanção presidencial.

Votaram SIM para o fundo eleitoral de R$ 5,7 Bilhões:

- Benes Leocádio (REPUBLICANOS/RN)

- Beto Rosado (PP/RN)

- Carla Dickson (PROS/RN)

- General Girão (PSL/RN)

- João Maia (PL/RN)

 

Votaram NÃO para o fundo eleitoral de R$ 5,7 Bilhões:

- Natália Bonavides (PT/RN)

- Rafael Motta (PSB/RN)

 

Abstenção:

- Walter Alves (MDB/RN)

 

Fonte: Contêm dados da Folha de SP