Educador Paulo Freire receberá homenagem da Câmara de Natal

18/08/2021


Foto: Verônica Macedo
 
O educador Paulo Freire é o terceiro teórico mais citado do mundo em trabalhos na área de humanas e também reconhecido pelo método de alfabetização desenvolvido na década de 1960. Se estivesse vivo, completaria 100 anos. Em reconhecimento a toda essa trajetória, a Comissão de Educação da Câmara Municipal de Natal aprovou, nesta terça-feira (17), uma homenagem, post mortem, alusiva ao centenário do escritor.
 
Ao fazer uso da palavra, o autor da proposta, vereador Pedro Gorki (PCdoB), falou da ligação do educador Paulo Freire com o Rio Grande do Norte. “Ele era filho de potiguar, inclusive as primeiras experiências do seu método educacional começaram na cidade de Angicos”, recordou. “Trata-se de um dos maiores educadores brasileiros, sendo referência no mundo todo”, completou.
 
Também recebeu parecer favorável, uma matéria do vereador Chagas Catarino (PSDB). A redação estabelece que os transportes escolares da rede pública municipal de Natal poderão contar com a presença de monitores fiscalizando o embarque e o desembarque dos alunos. Na sequência, foi aprovado um texto, apresentado pela vereadora Brisa Bracchi (PT), que institui a criação do Dia da Visibilidade Bissexual no Município de Natal.
 
Outros destaques dentre os projetos acatados foram: PL 803/2019, do vereador Aroldo Alves (PSDB), sobre a proibição de vendas de animais domésticos e estímulo à prática da doação e o PL 236/2020, encaminhado pela vereadora Divaneide Basílio (PT), que institui o reconhecimento do caráter educacional e formativo do Wrestling (Luta Olímpica) e permite a celebração de parcerias para a sua instrução na rede pública de ensino da capital potiguar. 
 
Após a designação e apreciação dos projetos de lei, os vereadores discutiram sobre o retorno presencial das aulas nas escolas municipais. Lideranças do movimento estudantil da cidade participaram do debate. “Estamos nas unidades de ensino e conhecemos todos os problemas, que vão desde a estrutura até a alimentação dos estudantes. E sem segurança alimentar e a biossegurança garantidas, não temos condições adequadas para retorno das aulas”, defendeu Alana Carolina, presidente da Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas (APES).
 
Por sua vez, a presidente da Comissão de Educação, vereadora Brisa Bracchi, fez uma avaliação dos debates. “Hoje retomamos as reuniões do colegiado após o recesso parlamentar e, como já era esperado, abrimos as atividades discutindo o retorno das aulas presenciais no Município, uma das nossas grandes preocupações. Em tempo, a retomada precisa ser feita de forma segura. Para tanto, temos que observar as condições estruturais, ou seja, manter o distanciamento entre os estudantes, torneiras que funcionem, álcool em gel em todos os ambientes etc.”, concluiu.
 

Fonte: Assecom CMN