Live de Bolsonaro é derrubada após o presidente disseminar fake news sobre a vacina

25/10/2021

Por: Jessyanne Bezerra
Foto: Reprodução

 

Na noite deste domingo (24), o Facebook e o Instagram derrubaram a live semanal do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) transmitida na última quinta-feira (21). O motivo foi a disseminação de fake news relacionadas à vacina, em que o presidente compartilhava uma mentira sobre a relação entre vacina contra a Covid e Aids. O vídeo não está mais disponível nas redes sociais.

Esta é a primeira vez que a empresa remove uma live semanal de Bolsonaro. Até hoje o Facebook só tinha derrubado um post de Bolsonaro relacionado à pandemia: um vídeo de março de 2020 em que ele citava o uso de cloroquina para o tratamento da doença e defendia o fim do isolamento social. Sobre o ocorrido, o porta-voz da empresa afirmou: "Nossas políticas não permitem alegações de que as vacinas de Covid-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas."

Na sua live semanal, que foi ao ar na quinta-feira (21), Bolsonaro leu uma notícia falsa que diz que relatórios oficiais do Reino Unido teriam sugerido que as pessoas totalmente vacinadas estariam desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS).

O oficial de comunicações da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, Zahraa Vindhani, afirmou que "as vacinas contra a Covid-19 não causam Aids" e salientou: "A Aids é causada pelo HIV."

Em uma tentativa de se justificar, Bolsonaro disse que leu sobre a pesquisa em reportagem da revista Exame publicada na semana passada. A reportagem, no entanto, foi publicada em outubro do ano passado, quando as vacinas estavam sendo produzidas, e falava apenas em uma possibilidade. Em suma, a notícia falsa mencionada por Bolsonaro foi criada em site conspiracionista beforeitnews.com

Os médicos, no entanto, afirmam que a associação entre o imunizante contra o coronavírus e a transmissão do HIV, o vírus da Aids, é falsa e inexistente.