Gasolina aumenta e chega a R$ 7; RN tem o maior preço médio por litro do país

26/10/2021

Por: Jessyanne Bezerra
Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

 

Segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o Rio Grande do Norte tem litro de gasolina mais caro do país, superando Rio de Janeiro, Piauí e Acre. Além disso, o preço do diesel vendido no estado é o segundo mais alto.
 
Segundo o levantamento divulgado nesta segunda-feira (25), pela ANP, o preço médio do litro do combustível no Rio Grande do Norte foi de R$ 6,948, na semana passada. Em Natal, o valor foi ainda maior: R$ 6,983.
 
Cerca de três meses atrás, entre os dias 27 de junho e 3 de julho deste ano, uma pesquisa feita pela ANP revelou que o Rio Grande do Norte tinha a terceira gasolina mais cara do país, com o valor médio era de R$ 6,21 por litro, ficando atrás apenas do Acre e do Rio de Janeiro.
 
E agora, a nova pesquisa da ANP, feita entre 17 e 23 de outubro, aponta que: Rio Grande do Norte superou os outros estados e se tornou a unidade federativa com o maior preço médio de gasolina com R$ 6,948 por litro. Além disso, Natal também é a capital com o preço médio mais alto, na comparação com todas as outras. 
 
Com os preços já próximos dos R$ 7, essa barreira deverá ser rompida nos próximos dias, porque a Petrobras anunciou um reajuste de 7% no preço do combustível a partir desta terça-feira (26), nas refinarias.
 
O repasse dos reajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de etanol anidro e biodiesel.
 
Como funciona os reajustes no preço da gasolina
 
A nova política de “salvação da Petrobras” foi adotada em 2016 e utiliza a ferramenta de preço da paridade internacional: a gasolina que é produzida aqui no Brasil, é um produto brasileiro e refinada no Brasil. Porém, acaba sendo vendida como comódite, que é um produto de valor comercial internacional. Então o preço quando varia lá fora, o preço do barril sobe, então, por consequência, o preço da gasolina vai subir também.
 
Essa política adotada e mantida pelos presidentes Temer e Bolsonaro é constituída pelo conceito de “vende em Real e compra em Dólar”, o Brasil vende o produto em real e compra a gasolina em dólar.
 
Portanto, não adianta diminuir o ICMS (arrecadação estadual via impostos) se o valor real da gasolina irá continuar oscilando junto ao dólar.