Depois de postar vídeo em que Marília Mendonça criticava Bolsonaro, Marisa Orth é detonada na web

11/11/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: istoe.com.br

 

Nesta quarta-feira, a atriz Marisa Orth foi bastante criticada por internautas depois de uma homenagem que prestou à cantora Marília Mendonça, morta em um acidente aéreo na última sexta-feira (5). Em suas redes sociais, a artista global compartilhou um vídeo em que a sertaneja atacava o presidente Jair Bolsonaro, se posicionando em oposição ao seu governo.


Após a repercussão negativa da sua publicação, Marisa Orth se defendeu por meio dos stories da plataforma. “Que coisa louca! Me reproduziu um vídeo da Marília se posicionando politicamente, estamos todos muito tristes. Estou absolutamente chocada, muito preocupada com os seus familiares, porque não podemos deixar uma fala dela sobre política?”, questionou a atriz.


Em relação ao conteúdo do vídeo, a atriz ressaltou seu direito de livre expressão sobre quaisquer temas; na sequência, salientou que o posicionamento político de Marília não deveria causar discórdia. “Absolutamente tem essa coisa de ‘lacrar’, eu não sou do tempo desse verbo. Sou do tempo em que o nosso país está mal, e isso é urgente. Eu tenho certeza, me perdoe, que a Marília não me censuraria como vocês estão fazendo. A tristeza é enorme, e se nós não tomarmos atitudes nós teremos vários outros motivos para sofrer. E vou continuar postando o que eu achar dela que me tocou”, declarou a artista.


Por fim, Marisa Orth reiterou a necessidade de se respeitar a ideologia política que Marília Mendonça contemplava, além de fazer uma associação entre o gênero musical sertanejo e o atual governo federal, o qual possui, segundo a atriz, uma tendência à ultradireita. “Eu vejo no movimento sertanejo, um racionalismo, uma tendência ultradireita, um lugar de apoio ao presidente Bolsonaro e eu me preocupo. E só para finalizar, vocês que são tão fãs dessa extraordinária artista que sofreu essa imensa tragédia, eu lamento, mas essa era a posição política dela, e porquê a gente separa uma pessoa da política? Não consigo entender”, concluiu