Segundo INEP, até 2026 o ENEM será todo digital

14/11/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: abcdoabc.com.br

 

Pelo segundo ano consecutivo, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) vai dispor de duas versões: impressa e digital. A prova deste ano, segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o exame deste ano conta com 3.109.762 inscritos, sendo 3.040.871 para fazer a prova impressa e 68.891, a digital.


De acordo com o INEP, as duas modalidades, embora sejam realizadas nas mesmas datas - 21 e 28 de novembro - e terem o mesmo conteúdo para a redação e as outras áreas, a versão impressa ainda é a que contém a maior parte dos candidatos. Devido à pandemia, a edição do ano passado teve um desfalque de 70% dos candidatos inscritos e, aproveitando-se desse fato, a intenção dos organizadores, segundo informações do próprio INEP, é que, até 2026, o processo seja inteiramente digital.


No que se refere às vantagens do formato digital, o sistema evidencia algumas facilidades, como a marcação das questões que é feita na tela do computador, não sendo necessário, portanto, preencher o cartão de respostas ao final da prova; ademais, é possível navegar entre as questões e marcar aquelas que ainda não estão preenchidas, bem como fazer anotações em tela. O Inep disponibilizou, inclusive, um tutorial no Youtube sobre essas particularidades do âmbito digital. 


Segundo Rômulo Braga, coordenador de ensino médio do CEL Intercultural School, não há, em termos pedagógicos, mudanças entre as modalidades. “Só muda do papel para a tela do computador, e fica uma questão por tela, mas há possibilidade de ir entre as questões, de rascunhar em cima. A diferença pedagógica é praticamente nenhuma. A grande questão é que vai fazer em frente ao computador”, explica o coordenador.


Em oposição ao posicionamento de Braga, o professor de história Rafael Duarte alerta sobre a importância da inscrição na forma impressa. “A prova [digital] ainda tem caráter experimental, e a gente tem preparado os alunos para a versão impressa. A recomendação é que os estudantes anotem as questões em que tiveram mais dificuldade para depois voltarem mais facilmente a elas e também que reservem um tempo para preencher o cartão de respostas”, disse o educador.