"Bolsonaro é meu maior rival e Volta de Lula seria suicídio", afirma Sérgio Moro

14/01/2022


Foto: dn.pt

 

Nesta quinta-feira, em entrevista à Revista Veja, o ex-juiz e presidenciável Sérgio Moro (Podemos) fez uma avaliação sobre a corrida ao Palácio do Planalto em 2022, sobretudo no que se refere aos seus principais adversários na disputa: Lula (PT) e Bolsonaro (PL). De acordo com o ex-ministro da Justiça, o atual chefe do executivo federal é seu principal rival, enquanto um possível retorno do petista ao poder seria um “suicídio”. 

 

Posicionado como protagonista da chamada “terceira via” nas últimas pesquisas, Moro ressaltou que não desistirá da disputa, e que sua candidatura é a que possui maior potencial de crescimento nas intenções de voto. "Quero dar às pessoas a alternativa de que não é preciso tratar quem pensa diferente como inimigo. As pessoas sabem que esse governo não tem compromisso com o combate à corrupção e que não funcionou na economia. Elas precisam de uma outra alternativa, inclusive para enfrentar o outro extremo, que é o Lula. Se insistirem na polarização vamos acabar entregando o poder ao Lula”. disse.

 

No que concerne às possibilidades de êxito dos seus principais concorrentes nas urnas, Moro salienta que a vitória de Lula seria um “acinte”, levando em consideração a suposta corrupção que o envolveu nos episódios do mensalão e da Lava-Jato. Em relação a Bolsonaro, de quem foi aliado e ministro, o presidenciável critica sua aproximação com o centrão e o acusa de estar mentindo sobre o fim da corrupção em seu governo. 

 

"Bolsonaro não queria combater nada. Queria apenas se blindar, ficar longe do alcance da Justiça. Ele me disse que eu tinha de sair do governo porque não aceitava protegê-lo de investigações. Prefiro ser alvo de críticas injustas e até de mentiras a permanecer como cúmplice de coisa errada.", declarou Moro. 

 

Em relação à possibilidade da composição em torno de um nome de consenso na terceira via, Moro se mostra entusiasta da ideia e fala sobre o respeito que nutre pelos outros candidatos. "Temos de respeitar todo mundo que quer colocar seu nome à disposição, mas é importante que em algum momento haja uma aglutinação em torno de um projeto e das pessoas que têm condições de realizá-lo. Hoje, vejo minha candidatura com as melhores chances de êxito”. 

 

Na última pesquisa eleitoral, organizada pelo Instituto Ideia, contratada pela revista Exame e divulgada nessa quinta-feira (13), Lula segue na liderança com 41% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, com 24%. Moro desponta com 11%, o ex-governador Ciro Gomes (PDT) com 7% e Doria com 4%..