“Putin não tem intenção de acabar com a guerra”, diz chefe de inteligência norte-americana

11/05/2022


Foto: Anna Moneymaker/AFP

 

Em pronunciamento oficial no Comitê de Serviços Armados do Senado, nesta terça-feira (10), Avril Haines, diretora de Inteligência Nacional norte-americana, falou sobre o atual estágio da guerra no Leste Europeu, sobretudo no que concerne à postura do presidente russo Vladimir Putin em relação ao confronto. De acordo com a dirigente, o mandatário não reduziu seus interesses de longo prazo na Ucrânia. 

 

Como justificativa ao seu parecer, Haines analisou o recuo das tropas russas para o leste e sul do território ucraniano por não conseguir tomar a capital Kiev. Conforme palavras da diretora, trata-se apenas de uma “mudança temporária de curso”, a fim de retomar a investida posteriormente. 

 

Ainda em avaliação sobre as intenções de Vladimir Putin, Haines ressaltou que o objetivo do mandatário é expandir a invasão para além da região separatista de Donbas. "Avaliamos que os objetivos estratégicos do presidente Putin não mudaram e ele está se preparando para um longo conflito na Ucrânia", afirmou. 

 

Em relação às negociações de paz, a diretora de Inteligência se mostra pessimista, salientando que o mais provável é que haja uma escalada nas ações bélicas em território ucraniano. "A tendência atual aumenta a probabilidade de Putin recorrer a meios mais drásticos para seguir com a guerra, como impor a lei marcial em casa, colocar a economia da Rússia em pé de guerra ou lançar uma ação militar potencialmente de escalada'', declarou Haines.