Editora da UFRN lança biografia ilustrada: 'Augusto Severo, o homem que sonhou voar'

11/05/2022


Foto: Rafael Campos e Michele Holanda

 

Nesta quinta-feira, 12, às 15h, a Editora da UFRN lança o livro "Augusto Severo: o homem que sonhou voar" no Complexo Cultural Rampa, no bairro de Santos Reis, em Natal. A publicação é uma biografia ilustrada do inventor potiguar produzida em homenagem aos 120 anos da sua morte, completados em 2022. Trata-se de uma produção da Editora da UFRN, com financiamento para impressão do Projeto Rampa - arte museu paisagem.

 

O livro, que pode ser visualizado neste link, conta com ilustrações de Angela Almeida, texto de Helton Rubiano e projeto gráfico de Rafael Campos e Michele Holanda. Adotando uma perspectiva lúdica, a publicação é dirigida ao público infantojuvenil, mas também pode ser apreciada por leitores adultos. A proposta visual consiste na montagem digital de imagens plásticas e fotografias. Com esse intuito, foram exploradas obras de artistas estrangeiros e outras de artistas potiguares, como Newton Navarro e Erasmo Andrade, além de fotografias do caicoense José Ezelino da Costa.

 

Essa iniciativa se insere entre as ações de um grupo de trabalho criado em 2021 para organizar algumas homenagens a Augusto Severo, articuladas pela professora  Ângela Paiva, assessora do Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo (PAX), e que envolve outras instituições, como a Fundação José Augusto, Academia Norte-rio-grandense de Letras, Instituto Histórico e Geográfico do RN, Aeronáutica e as prefeituras de Macaíba e Parnamirim.

 

Nessas cidades, também acontecem, neste dia 12, celebrações alusivas ao ilustre norte-rio-grandense. O grupo coordenado por  Ângela Paiva trabalha para produzir mais duas obras pela Editora da UFRN com apoio de outras instituições e tem auxiliado nas ações para viabilizar o traslado dos restos mortais de Augusto Severo, do Rio de Janeiro para a cidade de Macaíba/RN.

 

História

Augusto Severo nasceu em 11 de janeiro de 1864, em Macaíba-RN. Foi político, jornalista e inventor. Destacou-se pela criação de projetos aeronáuticos. Em 1901, viajou para França, onde concebeu e iniciou a construção do dirigível Pax. Concluído meses depois, a criação chamou a atenção pela inovação tecnológica. Após ensaios exitosos, Severo marcou para o dia 12 de maio de 1902 a estreia com o equipamento. Contudo, cerca de dez minutos após o início do voo, o Pax explodiu no ar, matando Severo e o mecânico francês Georges Saché. Apesar do fim trágico, Severo é até hoje celebrado pela sua inventividade e pioneirismo.