“Irei até o fim e vencerei no segundo turno”, declara Ciro Gomes

12/05/2022


Foto: agenciabrasil.ebc.com.br

 

Através de sua conta no Twitter, nesta quarta-feira (11), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) falou sobre as eleições de outubro e aproveitou a oportunidade para comentar acerca de suas próprias possibilidades no pleito presidencial. De acordo com o ex-governador do Ceará, a polarização entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) aumentaria sem a sua presença.

 

Na publicação, Ciro destacou que os eleitores de Bolsonaro são movidos pelo ódio que sentem em relação ao PT. Ademais, o presidenciável ressaltou, de forma otimista, que tem chances reais de vitória em um eventual segundo turno. "Irei até o fim e vencerei no 2º turno. Se tivessem inteligência e amor pelo Brasil, os que defendem o contrário, saberiam que o risco maior para Lula e para a nação não está na minha permanência, mas numa retirada", disse.

 

No que se refere ao resultado da pesquisa Genial/Quaest, a qual apontou que, em sua hipotética saída da disputa, Lula venceria no primeiro turno, o ex-ministro da Fazenda adotou um tom firme, atacando a credibilidade do levantamento. “Operação midiática, de puro terrorismo eleitoral", disparou de maneira sucinta.

 

"Sem a minha candidatura, a polarização aumentaria em um momento em que Lula estagnou e Bolsonaro se sustenta. Porque a resiliência do genocida é menos ilógica do que aparenta. Ela está fortemente ancorada no antipetismo", declarou Ciro. 

 

Por fim, Ciro se posiciona de forma crítica em relação ao ex-presidente Lula, afirmando que os erros de sua campanha e seus conchavos políticos são responsáveis por manter Bolsonaro ainda em destaque nas pesquisas de intenção de voto. "Só há uma remota saída para o lulismo: mudar o eixo da campanha, fazer autocrítica e não insistir em falsas soluções. Para mim, há uma caminho sem limites de crescimento porque tenho programa, tenho passado limpo e uma infatigável disposição para a luta", concluiu.