Fiocruz emite alerta sobre estagnação da cobertura vacinal contra Covid 19 no Brasil

20/05/2022


Foto: José Cruz/Agência Brasil

 

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) emitiu um alerta sobre a estagnação da cobertura vacinal contra a Covid-19 no Brasil. A entidade também alertou para a desaceleração do aumento da curva de cobertura para a terceira dose entre adultos em todo o país, aponta reportagem da CNN Brasil.

 

O alerta foi emitido na última edição do boletim do Observatório Covid-19 da fundação, que apontou que 80% da população acima de 25 anos já está com o esquema vacinal completo. No entanto, nos grupos mais jovens, a terceira dose segue abaixo da média considerada satisfatória.

 

De acordo com a Fiocruz, 63,9% dos brasileiros com 55 a 59 anos, 57,9% com 50 a 54 anos e 52,8% com 45 a 49 anos, já estão totalmente vacinados. O percentual vai diminuindo gradativamente conforme a média de idade vai caindo, sendo o menor índice entre 18 e 19 anos, que é de 25,2%.

 

A Fiocruz também divulgou dados sobre a segunda dose de reforço disponível para a maior parte dos imunizantes usados no Brasil, entre 24 de abril e 14 de maio.  A cobertura na faixa etária de 80 anos ou mais é de 17,7%, de 75 a 79 anos é de 12,4%, 70 a 74 anos é de 12%, de 65 a 69 anos é de 6,4% e de 60 a 64 anos é de 3,4%.

 

Em 14 estados, 80% da população já tomou pelo menos a primeira dose da vacina, enquanto em 18 unidades federativas mais de 70% da população já tomou a segunda dose. Entre os estados com maior cobertura, destacam-se São Paulo e Piauí.

 

A cobertura vacinal é desigual entre os diferentes estados brasileiros. “É importante reconhecer que a ampliação da vacinação, priorizando especialmente regiões com baixa cobertura e doses de reforço em grupos populacionais mais vulneráveis, pode reduzir ainda mais os impactos da pandemia”, disse a Fiocruz.

 

Nas faixas etárias acima de 65 anos, a cobertura vacinal está acima dos 80%, no entanto, a quarta dose foi aplicada em apenas 17% da população com mais de 80 anos. Entre as crianças com 5 a 11 anos, 60% já tomaram a primeira dose e 32% estão com o esquema vacinal completo.