Representantes da Saúde parnamirinense prestam esclarecimentos na Câmara de Vereadores

20/05/2022


 

A situação da Saúde de Parnamirim vem sendo um tema recorrente nos discursos da vereadora Fativan Alves, pois, segundo a parlamentar, os problemas se acumulam na pasta e a população que vem sofrendo com os diversos problemas que vão desde a falta dos atendimentos básicos a cirurgias eletivas.
 
Pensando em reverter o atual quadro da saúde, a vereadora convocou os representantes da Saúde por meio do Requerimento Legislativo nº 67/2022, para discutirem a ausência de profissionais de saúde na Maternidade Divino Amor e na Unidade de Pronto Atendimento do município.   
 
Compareceram a secretária municipal de Saúde, Luciana Guimarães, a diretora-geral da Maternidade Divino Amor, Ana Michele Cabral e a diretora-administrativa também da Maternidade, Karina Barros, além do diretor da Unidade de Pronto Atendimento, Henrique Eduardo Costa.
 
A secretária de Saúde conversou sobre os problemas relacionados a pasta e informou de forma “extra oficial” que foi firmada uma parceria com a Universidade Potiguar (UnP) para disponibilizar alguns residentes de pediatria e ginecologia. 
 
“Iremos focar na atenção primaria, pois assim podemos colocar as unidades de saúde em pleno atendimento, fora que vamos buscar regularizar a questão dos medicamentos nas farmácias das unidades. Nós todos precisamos acolher essa comunidade com um olhar humanizado. Assim iremos abarcar esta população. Não vamos também deixar a questão estrutural de lado, pois sabemos das demandas das unidades e vamos buscar contratos que sejam benéficos ao povo de Parnamirim. Não temos como conseguir um serviço perfeito, mas iremos em busca do melhor serviço possível para o povo de Parnamirim”, pontuou Luciana Guimarães.
 
Já a diretora da Maternidade Divino Amor, Ana Michele, afirmou que o problema da unidade é a chegada de pessoas de outros municípios em busca de atendimento o que desequilibrou os atendimentos e causou a escassez dos profissionais e horários. O diretor da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Henrique Eduardo Costa, ressaltou que devido a precariedade da assistência nas UBS´s na cidade, a Unidade tem ficado superlotada. 
 
O diretor informou que 72% dos pacientes, tem classificação verde e azul e os apenas 26% são residentes do mesmo bairro da unidade de Saúde. Outro dado que foi ponderado por ele é relacionado ao número de pessoas sem plano de Saúde cresceu muito em Parnamirim. No ano de 2016, cerca de 28% dos parnamirinenses possuíam plano de saúde e que neste ano, o número despencou para cerca de 10%, o que fez necessário um reforço da gestão na Saúde para lidar com a nova realidade.
 
Em seu discurso de encerramento, a vereadora Fativan Alves reforçou que o compromisso do gestor é com a verdade e que a Câmara de Vereadores “estão cansados das mesmas cobranças sem soluções” e isentou a nova administração pois “o problema da Saúde de Parnamirim não é dos gestores das pastas, mas do Prefeito Rosano Taveira que não oferece condições para que diretores e secretários executarem o trabalho adequado”.  com eficiência.