Rio Grande do Norte formaliza 8,5 mil novos negócios nos cinco primeiros meses de 2022

29/06/2022


Foto: Reprodução

 

O número de registro de novas empresas na categoria de Microempreendedor Individual (MEI) tem diminuído no Rio Grande do Norte neste ano no comparativo com anos anteriores. Em maio, foram formalizados 1.397 novos negócios nesse perfil de pessoa jurídica do Simples Nacional. No entanto, esse quantitativo é 48,6% menor diante do volume de formalizações verificadas em maio do ano passado, quando foram criadas 2.077 novas empresas como MEI. As informações constam em análise feita pelo Sebrae com base em dados da Receita Federal.

Entre janeiro e maio deste ano, o estado chegou a registrar 8.566 novos cadastros de empresas enquadradas como MEI, o que elevou para 171.969 total geral de negócios classificados nessa figura jurídica. Ainda assim, o volume de novos cadastros neste ano é inferior ao acumulado nos primeiros cinco meses de 2021. Nesse intervalo do ano passado, o RN já havia formalizado 10.583 microempreendedores – 23,5% a mais que neste ano.

Uma das explicações pode estar relacionada às dificuldades impostas pelo atual cenário econômico brasileiro, aliadas a uma queda nos índices de empreendedorismo por necessidade, como demonstrou a última edição da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP). O estudo já indicava, no ano passado, uma redução de 1,5 pontos percentuais na taxa de empreendedorismo por necessidade, que é um fator que influencia muitos empreendedores (em especial os MEI) ao escolherem abrir o próprio negócio para buscar uma fonte de subsistência.

"É importante também analisarmos que, nos dois últimos anos, o número de formalizações do MEI aumentou, muito em função da pandemia. Vários profissionais autônomos se registraram no intuito de conseguirem aprovação para receber o auxílio emergencial, o que resulta em um crescimento atípico que não reflete com exatidão a taxa de empreendedorismo real”, pondera Max Bruno, analista técnico da Agência Sebrae na Grande Natal.

Esse recuo no número de formalizações é percebido não somente no Rio Grande do Norte. A análise do Sebrae mostrou que houve uma redução na quantidade de novos registros de MEI em todo o país, até março. No primeiro trimestre do ano, foram criadas no Brasil 954 mil empresas – entre microempreendedores individuais (MEI), microempresas e empresas de pequeno porte. No mesmo período de 2019 e 2020 foram abertos, respectivamente, 762 mil e 843 mil pequenos negócios, respectivamente. Já em 2021, o resultado foi de pouco mais de 1 milhão de novos empreendimentos.

Atividades

Entre os MEIs brasileiros, o primeiro lugar da lista com o maior número de abertura é a atividade de comércio de artigos de vestuário e acessórios, com 43,7 mil pequenos novos negócios nos três primeiros meses deste ano. O ramo também ocupa o terceiro lugar entre as microempresas (ME) e as empresas de pequeno porte (EPP), chegando a 4 mil e 677 empreendimentos, respectivamente.

Em segundo lugar entre os MEI aparece a promoção de vendas, com 43,1 mil novos registros, seguido pela atuação de cabelereiro, manicure e pedicure, com 35,7 mil aberturas de MEI no primeiro trimestre de 2022. Em comparação com os anos anteriores, a atividade de promoção de vendas vem crescendo desde 2019, sempre alcançando os primeiros lugares do ranking.

O desempenho das atividades de beleza segue estável desde o ano passado, mas com queda no ranking quando comparado ao mesmo período de 2019, quando foi o primeiro lugar com 43 mil novos MEI. Quando comparado com o mesmo período de 2021, a abertura de negócios desse segmento também apresentou uma queda: Em 2021, foram 38,2 mil formalizações. Já em 2022, 35,8 mil.

Os três primeiros classificados são os mesmos para as ME e EPP. Em primeiro lugar, estão os serviços combinados de escritório e o apoio administrativo, seguidos da atividade médica ambulatorial restrita às consultas e ao comércio de artigos de vestuário e acessórios. Nos primeiros três meses de 2022, foram abertas quase 7 mil novas ME e 1 mil novas EPP da atividade de serviços combinados de escritório e apoio administrativo no país. Já o CNAE da atividade do segmento da saúde citada teve 4,8 mil novas ME e 817 cadastros de EPP no mesmo período.