Wellington Duarte

13/06/2019
 
O INTERCEPT JOGA O JUDICIÁRIO NA LAMA E MOSTRA AS ENTRANHAS DO PODER
 
As pessoas que possuem o mínimo de discernimento já perceberam que a vasta documentação disponibilizada pelo Intercept, mostra a montagem de uma quadrilha formada por procuradores da “República de Curitiba”, por Moro e por um punhado de meliantes fantasiados de delegados da Polícia Federal, com um único propósito: destruir a nação brasileira.
 
E não se trata de um “discurso de esquerda”, de algum lunático “vermelho”, mas de uma pessoa que, que não se surpreende com o Brasil, teve a desagradável sensação de que pessoas jovens, com um discurso contra a corrupção, se entregaram à uma orgia entreguista, que destruiu a indústria brasileira, prendeu Lula retirando-o da disputa eleitoral, e foi o cabo eleitoral para a eleição de Bolsonaro, esse retardado fascista que transformou nosso país, em apenas seis meses de governo, num chiqueiro.
 
O Intercept não é nenhum movimento progressista e nem está destinado a defender os “petralhas”, mas nasceu de um projeto do bilionário norte-americano Pierre Omidayr, fundador do site e-Bay, que em 2014 fundou o projeto First Look Media, em colaboração com Glenn Greenwald, Laura Poitras, Jeremy Scahill e Dan Froomkin., John Temple e Jay Rosen.
 
Como o Intercept conseguiu o material para infernizar a vida de Moro, Bolsonaro e tirar o sono dessa cambada de procuradores venais? Um dia descobriremos, mas o que está na mesa agora é o resultado de um conluio devastador que, em nome da rapinagem, foram instrumentos para a roubalheira de uma nação inteira, sob o falso pretexto de que é para “resolver os problemas fiscais”.
 
O velho chavão dos “interesses imperialistas”, tornado démodé até entre as esquerdas, na verdade se mostra presente nas relações internacionais e o tal “combate à corrupção” foi uma panaceia que mostrou as entranhas de um sistema putrefato e fétido, o Judiciário brasileiro. Juízes, desembargadores e procuradores, com seus discursos empoados e monótonos, são cúmplices de tudo isso que está acontecendo, pois não é possível imaginar que pessoas tão bem informadas, não tenham percebido a escandalosa montagem de um processo para prender Lula.
 
A Lava a Jato assassinou, indiretamente, a esposa de Lula e destruiu as finanças da sua família, e isso foi saudado pelos fascistas brasileiros, servis e corruptos, sem autoestima e prisioneiro dos interesses de uma elite carcomida e putrefata, cujos agentes infestaram o Judiciário, com seus “concurseiros”. Essa turma de marginais utilizou seus cargos públicos para fazerem a tarefa dos donos do poder nos EUA. E receberiam por isso, cerca de R$ 2,5 bilhões. Esse verdadeiro “contrato de Judas” foi armado pela Lava a Jato, uma quadrilha de corruptos e venais.
 
O vasto material do Intercept não mudará as opiniões da gentalha que saiu das cavernas e que, de fato, é reacionária e fascista, mas talvez faça com que muitos que vestiram a camisa da CBF e foi às ruas gritar pela Lava a Jato, saudar Moro como “herói nacional”, saiam da condição de “idiotas úteis” para de “cidadãos enrolados” e passem a ver que a desgraça econômica que se abate no país, tem responsáveis.