Vereadores de Parnamirim mantém silêncio sobre vereador preso e caso `Fura-fila`

06/05/2021

Por: REDAÇÃO DO PN
 
O mundo político e a opinião pública parnamirinenses vem percebendo o silêncio total da Câmara de Parnamirim diante da prisão do vereador em Parnamirim Diogo Rodrigues (PSD) no dia 20 de abril, acusado de chefiar um esquema de fura-filas para marcação de exames e consultas pelo Sistema Único de Saúde no Rio Grande do Norte. 
 
O presidente da Casa, Wolney França, não fala sobre o assunto e nem expediu nota pública contundente sobre o tema. O ex-presidente Irani Guedes também se manteve em silêncio.
 
É compreensível que os vereadores  não queiram falar sobre um colega investigado e preso. Seria falta de ética e mesmo um desrespeito fazer um juízo de valor sobre o caso cujas investigações ainda estão no começo.
Por outro lado, seria aceitável uma nota oficial pelo menos registrando que a Câmara acompanha o caso e que espera que a justiça seja feita.
 
Coube à vereadora Fativan Alves (PV), que é oposição ao Governo Taveira, em entrevista na PNTV, registrar que a Câmara não está sob qualquer investigação e que Diogo está preso por ações que teria cometido entre 2019 e 2020, quando era diretor da central de regulação de consultas e exames de Parnamirim, ligado à secretaria municipal de Saúde do município, na gestão do prefeito Rosaldo Taveira.
 
Para muita gente, essa fala de Fativa, de isentar a Câmara deveria ter sido feita por Wolney ou por vereadores mais antigos, como Irandi, presidente da Casa no tempo  em que os atos investigados de Diogo foram cometidos.
 
Diogo foi o segundo vereador mais votado de Parnamirim, com 2.266 votos. Ele é filiado ao PSD, partido dirigido no Estado pelo ex-governador Robinson Faria e pelo ministro das Comunicações Fábio Faria.