Presidente da AL se reúne com Dnocs para discutir crise hídrica no Seridó

26/05/2015


Foto: Divulgação
O abastecimento de água no Seridó é motivo de preocupação não só para a população da região, mas também para as autoridades do Rio Grande do Norte. A adutora de engate rápido que vai abastecer Currais Novos e Acari precisa de aproximadamente 70 Km de tubos instalados. A obra está orçada em R$ 35 milhões e apenas pouco mais de R$ 1 milhão foi liberado.
 
A primeira carreta de canos chegou à cidade na última quarta-feira (20) com mais de 100 canos. A GAID Construções, empresa responsável pela execução da obra, já iniciou a limpeza das vias que servirão de base para a obra.
 
O assunto foi pauta de mais uma reunião entre o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PMDB) e o diretor do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), Walter Gomes. Participou ainda da reunião o ex-prefeito de Currais Novos, Zé Lins (PMDB) que sempre defendeu esta causa.
 
Ezequiel se comprometeu em agendar uma reunião com o governador Robinson Faria, para que ele convoque a bancada federal e juntamente com a representação da Assembleia Legislativa, vá a Brasília buscar recursos para que a obra da Adutora Currais Novos/Acari seja concluída dentro de sete meses. “Trata-se de uma causa pela qual estamos empenhados. A questão da água é prioridade e é preciso apresentar soluções imediatas para adutora de engate rápido que garante o abastecimento de água nos municípios de Currais Novos e Acari”, disse Ezequiel.
 
O presidente da Assembleia Legislativa destacou que é preciso exigir que o Governo Federal dê prioridade à questão da adutora.
 
De acordo com Walter Gomes, a região pode entrar em colapso dentro de dois ou três meses. “A obra da adutora é extremamente importante para evitar o colapso em currais novos e para que a obra tenha continuidade com celeridade, é preciso de um recurso na ordem de R$ 5 milhões/mês. Com esse recurso a adutora ficará pronta dentro de sete meses”, disse Walter Gomes.