Márcia Maia toma posse e será primeira mulher a ocupar presidência da AGN/RN

04/05/2019


 
“A nossa intenção é fazer com que a AGN continue fomentando a economia do Rio Grande do Norte, focando nos pequenos negócios e na economia criativa. Só assim nossa economia irá se fortalecer e conseguiremos promover, também, o desenvolvimento social do nosso estado”. Esse foi o tom do discurso da nova diretora-presidente da Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN), Márcia Maia, que assume com a marca de ser a primeira mulher a ocupar o cargo, em 20 anos de história da Instituição.  
 
A posse foi realizada na manhã desta sexta-feira (3), na sede da AGN. O ato de posse ocorreu dentro de uma reunião do Conselho de Administração da AGN e contou com a presença do seu agora ex-presidente Murilo Diniz; do secretário Chefe do Gabinete Civil do Estado, Raimundo Alves Júnior; e do Procurador-Geral Adjunto, José Duarte Santana; além de diretores e membros do Conselho. Márcia Maia assume para a complementação do mandato 2018/2020. 
 
Durante a reunião, a nova diretora-presidente da AGN fez um breve balanço sobre sua vida pública. “Fui deputada estadual por cinco legislaturas. Atuei como presidente da Comissão de Justiça na Assembleia Legislativa, que julgo ser uma das comissões mais importantes da Casa, cargo que ensejava muitos desafios e que tive a honra de ocupar durante dois anos de mandato. Tenho, ainda, uma história de atuação nas áreas do trabalho, da habitação e da assistência social”, declarou.
 
A nova diretora-presidente da AGN, Márcia Maia, lembrou da época em que sua mãe, Wilma de Faria foi governadora. “Ela já fazia esse trabalho de fomento e eu participei de sua gestão com o Programa Jovem Empreendedor. Nesse programa, nós tínhamos a parceria do Sebrae e da AGN. Atualmente, existem pessoas que receberam o financiamento da Agência ainda produzindo. E isso me enche de orgulho. Tenho certeza de que, a frente da AGN, teremos plenas condições de realizar um trabalho muito profícuo, eficiente e eficaz de estímulo à geração de trabalho e renda para o nosso povo”, relatou.