Renisse Ordine

17/12/2020
 
Entrevista com a escritora e professora cachoeirense Izabel Fortes
 
Na coluna hoje, uma entrevista com a escritora e professora cachoeirense Izabel Fortes, que dedica a sua vida literária ao público infantil, com livros inovadores e didáticos que estimulam a criação além da imaginação. Agora, ela acaba de lançar a “Trilogia de Lara”, voltada ao infanto-juvenil. Com Lara, os leitores terão a oportunidade de andar pelo campo da pesquisa aliada com a literatura, por entre histórias indígenas e quilombolas, buscando enaltecer as nossas raízes naturais e oralidade.
 
1- Quem é Izabel Fortes?
 
Sou Cachoeirense de nascença e de coração desde 1941! Tive uma infância bem feliz em meio a muitos folguedos livres pelos quintais da minha casa! Sempre gostei de ouvir histórias da família, contos de assombração, de fadas, de bruxas. Nas férias ia pra fazenda, onde ouvi mais causos! Gostava de andar abraçada com livro por todos os lugares. Queria aprender a ler e aprendi, apesar da cartilha e das escolas! Comecei a ler em nunca mais parei! Aprendi a escrever e até cheguei a escrever alguns pedaços de histórias! Alguns, eu joguei fora, outros guardei!
Cresci, li muito, fiz faculdade de Letras em SP, para poder ser professora e passar pros meus alunos o meu gosto pela literatura!
Corri mundo, casei com meu amor, tive três filhos e seis netos! Aposentada, avó, contadeira de histórias, de volta às origens, resolvi acreditar nos meus escritos e terminar os que começaram, há muito tempo e escrever outros novos! Eis uns pedaços de minha história.
 
2- Quando despertou em você o amor pela escrita?
 
 Meu amor pela escrita surgiu pelo fato de gostar muito de ler! Costumo dizer que ler e brincar e tocar piano tinha o mesmo valor pra mim!
A escrita surgiu mais tarde, quando precisei passar para o papel tudo aquilo que não cabia mais na minha cabeça! As letras em forma de palavras e histórias começaram a surgir no papel e não pararam mais...
 
3- Como é escrever para crianças e desenvolver toda uma literatura voltada a elas? 
 
Escrever pra criança é quase que o mesmo que escrever que pra adultos! Talvez até mais difícil, pois a responsabilidade de despertar o prazer de ler num serzinho, que está se iniciando na leitura, e muito grande! 
A boa recordação das histórias ouvidas e da feliz vida vivida por mim na infância tem muito a ver com o ato de eu querer escrever literatura infantil!
 
4- O seu recente lançamento é “Trilogia de Lara”. O que você pode adiantar para nós sobre este livro?
 
O meu recente lançamento Trilogia de Lara foi fruto de muitas idas e vindas a diversas editoras! Finalmente, decidi publica-lo independentemente!  Na realidade, são três histórias com a mesma personagem - Lara - que passeia pelo nosso país, pesquisando sobre e defendendo índios e quilombolas! Ela nos leva junto... Vale conferir!
 
5- O que ou quem te inspira?
 
O que me inspira é a própria Vida! Às vezes, sou inspirada pelo Amor, e às vezes, sou inspirada pela Dor! Às vezes, uma frase de um filme, às vezes, um presente de surpresa, um sussurro no ouvido durante o sono, às vezes uma lembrança de infância, um pôr - do - sol, um abraço de um filho, um beijo de um neto...
 
6- Sobre literatura, qual é o livro que mais teve impacto em sua vida.
 
Muitos e variados livros! Um dos primeiros O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint- Exupéry, quase todos de Ana Maria Machado, de Gabriel García Marques e, por aí vai...
 
7- Você é acadêmica da ACLA, considerada a dama da literatura infantil aqui no Vale. O que você tem a dizer sobre a academia e a importância que ela tem em sua vida?
 
Fazer parte da Academia Cachoeirense de Letras e Artes me tornou duplamente imortal, como me disse um amigo! Ao lado de bons escritores e artistas plásticos, sinto- me honrada, nem sei se mereço ser chamada de acadêmica! Mas, faz parte da vida... Dama da literatura infantil aqui do Vale é pura invenção de outro acadêmico! Quem me dera!
Fazer parte da ACLA, com esses amigos maravilhosos, é gratificante pra mim! Aconteceu um dia...