Encontro internacional debate avanços da agroecologia

25/07/2013

Por: Tatiane Ribeiro

Em busca de soluções para o desafio da produção mundial de alimentos com menor impacto ambiental e para fortalecer as relações de apoio entre o campo e a cidade, 2.000 mil acadêmicos, técnicos, pesquisadores, estudantes e agricultores do Brasil e da América Latina irão se reunir durante O 3º Encontro Internacional de Agroecologia, em Botucatu (a 238 km de São Paulo), entre os dias 31 de julho e 3 de agosto.

O evento, que terá como foco o intercâmbio de conhecimentos técnico-científicos e populares, será direcionado para a criação de redes latinas de transição agroecológica e contará com a presença de ativistas renomados, como a indiana Vandana Shiva, física, ecofeminista e ativista ambiental, Miguel Altieri, pesquisador da universidade de Berkeley, na Califórnia, Eduardo Sevilla Guzmán, do Instituto de Sociologia de Estudos Campesinos da Universidade de Córdoba, e do pesquisador Victor Manuel Toledo, pesquisador de agrobiodiversidade, do México, entre outros.

"Queremos acumular conhecimentos sobre o assunto e apresentar os avanços para a sociedade. Mais de 50 ONGs vão participar do evento e também movimentos de base que articulam produtores no mundo todo", diz Beatriz Stamato, professora da Unesp (Universidade Estadual de São Paulo).

Segundo ela, 70% da alimentação dos brasileiros é proveniente da agricultura familiar. No entanto, ao comprar sementes e produtos químicos das grandes corporações agrárias, os produtores ficam dependentes da indústria.

"Quando o produtor é pressionado a usar uma semente híbrida ou transgênica, por exemplo, ele tem que comprar todo um pacote tecnológico para aquela semente germinar e crescer. E elas duram apenas um ano", explica Stamato. "Já usando a agroecologia, os produtores podem utilizar técnicas alternativas, como rotação de cultura, policultivo e controle biológico de pragas e doenças, sem usar agrotóxicos e agroquímicos."

Outro tema debatido no encontro será a permanência das famílias no campo. Os dados da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) mostram que a agricultura camponesa só consegue acessar 14% dos créditos do setor. O restante é utilizado pelos latifundiários, que utilizam, em sua maioria, técnicas de monocultura nocivas para o solo.

"A violência no campo, causada pelo interesse de terras, é cada vez mais crescente", conta Stamato. Para trazer a realidade dessa experiência, o evento contará com a presença de cerca de 200 agricultores familiares entre os palestrantes.

A ativista Vandana Shiva compartilhará as pesquisas realizadas à frente do Research Foundation for Science, Techonolog and Ecology, organização em Nova Deli que trabalha em prol da transferência de conhecimentos científicos de forma efetiva para a prática dentro dos movimentos populares e rurais.

Shiva também é porta-voz da luta em favor da legalização das sementes como patrimônio coletivo da humanidade.

O evento contará ainda com a Feira de Saberes e Sabores, nos dias 1 a 3 de agosto, onde os participantes poderão comprar produtos provenientes da agricultura familiar e vivenciar momentos de arte e cultura relacionados ao setor.

SERVIÇO
III Encontro Internacional de Agroecologia
Quando: 31 de julho a 3 de agosto de 2013
Local: UNESP/Lageado de Botucatu, São Paulo
Mais informações: *[www.iea2013.org]":http://eia2013.org/eia/

Fonte: Folha de S. Paulo