Parnamirim: Entrevista com o pré-candidato a prefeito Airene Paiva

08/07/2020

Por: CEFAS CARVALHO
 
Registrador e notário, Airene Paiva é bastante conhecido no município de Parnamirim e apesar de sempre flertar com a política partidária nunca havia dedecido entrar nela. Neste ano, colocou seu nome na disputa, pelo PC do B, e vem dialogando como pré-candidato da legenda à Prefeitura de Parnamirim. Confira entrevista que ele concedeu sobre seus projetos e bandeiras:
 
 
Quais os principais problemas de Parnamirim atualmente e se eleito, como pretende resolvê-los?
 
As pessoas e alguns dados de pesquisa apontam a saúde, a segurança, a educação e o desemprego como entraves e problemas mais visíveis de nossa cidade. São problemas conjunturais do nosso Brasil, que afetam diretamente a população mais carente e tem responsabilidades solidarias entre os entes Federativos (União, Estado e Município). Só uma ação coordenada pode apontar uma perspectiva de amenizar estes problemas. Não são problemas fácies de se resolver e não devo vender uma ilusão de que como futuro gestor, isso possa ser superado a curto prazo. Acredito que para enfrentar esses problemas, devemos de imediato montar uma ampla estratégia de recuperação de atividades econômicas que estão enfraquecidas, como o comércio, serviços, construção civil e turismo. Penso que focar nessas quatro frentes permitirá a recuperação da economia local, e num espaço de tempo razoável influir na melhoria da saúde, da empregabilidade e afetar positivamente na questão da segurança, tendo a educação como vetor de todo esse processo. 
 
 
Quais as principais bandeiras e pautas de sua pré-campanha?
 
Sou otimista, porém, gosto de andar com os pés no chão. Há muita coisa possível de executar ao longo de quatro (04) anos, caso eleito, mas ao mesmo tempo devemos primar pela continuidade das coisas positivas que já temos atualmente. Desse modo, o que for bom continua e será aperfeiçoado, o que for deficiente pretendemos melhorar. Mas antes de formular qualquer plataforma, temos que ouvir a população, com os canais hoje disponíveis, em função dos protocolos sanitários do Covid19.  De cara, focar no resgate da força econômica que Parnamirim tem e suas vocações; alavancar a geração de emprego e renda; incrementar o setor de serviços, comércio, construção civil e turismo serão também nossas prioridades. Avançar no setor social, pensar nas pessoas e suas necessidades.  
 
 
 Como acredita que será a campanha nestes tempos de pandemia?
 
A pandemia colocou os pré-candidatos em modo “off”, pela impossibilidade de contato físico com o eleitorado. O adiamento da eleição para novembro dá uma margem para que os candidatos possam trabalhar suas propostas, ter mais contato com o povo, ouvir a comunidade. Mas o certo é que a campanha desse ano terá como ferramenta principal as redes sociais. No entanto, o que vai definir mesmo o tom da campanha são as propostas de cada um e a capacidade de articulação politica para implementá-las. Quero muito Parnamirim desenvolvida. Acredito que posso contribuir para que isso. 
 
 
 Quais os principais pleitos que a população parnamirinense pede na sua opinião?
 
Na pandemia, a principal demanda hoje é a melhoria da gestão da saúde. Assim, o foco inicial do futuro gestor será tirar as lições nesse momento e priorizar o atendimento de quem necessita da saúde pública. Investir na modernização do atendimento, priorizando os canais eletrônicos, melhoria nas unidades de saúde, valorizar os profissionais envolvidos, uma regulação mais eficiente, com requisitos e protocolos claros e aquisição de medicamentos essências para abastecer a rede municipal de saúde de maneira eficiente e econômica.
 
 
Se eleito prefeito/a, qual a primeira coisa que pretende fazer?
 
Criar imediatamente um canal de contato com toda a população, em que as decisões que nosso governo pretenda tomar sejam de prévio conhecimento da população, inclusive, tendo a participação da comunidade, fazer uma gestão transparente.
Quando falo de canal de comunicação eu quero dizer que pretendo utilizar de uma plataforma digital, através de um aplicativo, em que a população pode tanto sugerir, criticar, apontar erros e elogiar as ações desenvolvidas. Muitas Prefeituras no país já se utilizam dessas plataformas como um meio de participação popular e de cogestão. Em muitos países no mundo já fazem isso. Quero modernizar a gestão de Parnamirim.
Eu não pretendo governar sozinho. Meu principal parceiro e aliado na luta diária tem que ser o povo de Parnamirim. Senão, não fará o menor sentido.