"Sérgio Moro cometeu excessos e ilegalidades", afirma o advogado Luís Gomes

09/03/2021

Por: Redação PN

 

 

         Nesta terça-feira, no jornal Potiguar Notícias - Primeira Edição, a jornalista Heloísa Macedo entrevistou o advogado Luis Gomes, que falou sobre o relatório do ministro Edson Fachin, que anulou as condenações ao ex-presidente Lula no processo da Lava-Jato.

         Segundo o advodado, o Supremo Tribunal Federal está atuando a fim de estabelecer a legalidade em relação ao julgamento da operação Lava-Jato. Segundo ele, Sérgio Moro, ex-ministro da justiça do governo Bolsonaro, cometeu excessos e ilicitudes no julgamento dos casos do triplex do Guarujá e do sítio em Atibáia, propriedades atribuidas ao ex-presidente.

        Em relação ao fato do ex-presidente ter os seus direitos políticos restituídos, Luis Gomes analisa: "o Lula é um cidadão comum, sem nenhum processo condenatório, fato que o torna apto a disputar qualquer mandato eleitoral, até que, porventura, surja uma condenação concreta que inviabilize uma eventual candidatura. Na verdade, este é o momento para que o STF faça valer os preceitos da Constituição, no sentido de oferecer aos ritos processuais um caráter de legalidade, garantindo aos réus um julgamento imparcial, além de uma ampla possibilidade de defesa".

         No que se refere à atuação da defesa do ex-presidente em relação aos pedidos de punição contra os membros da Lava-Jato por supostas condutas de parcialidade, o advogado ressalta: "a princípio, quero afirmar que acredito no poder judiciário, na medida em que também pertenço a esse universo. Sendo assim, eu fico muito orgulhoso quando a justiça contempla a lei com correção; e o papel do advogado é "trazer à luz" ao direito do paciente (cliente). Na verdade, esse caso do Lula suscita um atentado contra a Constituição Federal, e eu, como agente da justiça, preciso apontar isso. Portanto, não é admissível em um país que está sob a égide de um estado democrático de direito que as leis sejam desrespeitadas dessa maneira", finaliza.

 

Para assistir à entrevista, acesse o link: https://youtu.be/dLP9etWT5yA