De acordo com pesquisa, presidente não pode ser corrupto ou ignorante

19/09/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: Poder360.com.br

 

Em pesquisa encomendada pelo partido PODEMOS, o mesmo que intenciona propor a candidatura do ex-ministro Sérgio Moro à presidência da República em 2022, os eleitores citaram características que não desejam ver entre os postulantes ao Palácio do Planalto. De acordo com os ouvidos, 47% não vão aceitar um candidato corrupto; já 19% não toleram os presidenciáveis desonestos.


Ainda conforme a apuração da opinião popular feita pela legenda, existem outros aspectos que são abominados pelo público. Nesse sentido, 7% disse que não quer candidatos que se utilizem de falsas promessas, 4% não quer ver arrogantes  e prepotentes, bem como 1% não suporta a possibilidade de haver um presidente truculento.


As manifestações contrárias ao governo do último dia 12 na Avenida Paulista, organizadas pelo MBL e o “Vem pra Rua”, revelaram, entre os seus participantes, uma intenção de se apontar e consolidar um nome da chamada “terceira via”, isto é, uma alternativa plausível contra a tendência de polarização entre Lula e Jair Bolsonaro. No entanto, a última pesquisa Datafolha contraria essa expectativa, indicando que o petista lidera com 46%, contra 26% do atual chefe do executivo federal.


Em consonância a esse objetivo de se estabelecer um nome de consenso que possa disputar em condições de igualdade contra o binômio “bolsolulista”, partidos como PSDB, DEM, MDB E PODEMOS estão tentando, por meio do diálogo, lançar uma proposta de unificar o eleitorado a partir da candidatura de um único nome. Essa estratégia parte da premissa de que o candidato que tiver pelo menos dois dígitos, o que o tornaria apto a concorrer com alguma perspectiva de vitória nas urnas, terá o apoio dessas legendas e todos irão acatar. O mês de janeiro do ano que vem é o prazo firmado pelas siglas para que essa tática seja apreciada.