Ananda Carvalho

30/01/2020
 
Teoria da Pixar
 
De longe uma das teorias mais famosas na internet dos últimos anos, foi a “Teoria da Pixar”, que começou quando o escritor Jon Negroni fez uma tese, afirmando que todos os filmes do estúdio eram conectados, e a cada lançamento novo, conseguiam encaixar dentro da teoria.
 
A teoria dita detalhe por detalhe é imensa, mas veremos de uma forma resumida. As duas chaves principais para essa teoria é a bruxa de “Valente” e a empresa BNL (buy n large) que aparece em quase todas as animações do estúdio. 
 
Em “Valente” temos a personagem da bruxa conseguindo dar mais inteligência a animais e objetos inanimados, além de conseguir “sumir” passando por portas (esse detalhe lembra um outro filme do estúdio, não?), mas já vemos ali no século 14/15, onde o filme se passa, objetos e animais com mais inteligência;
 
Já nos 50/60 onde se passaria “Os Incríveis” o vilão Síndrome cria máquinas com inteligência artificial e a Energia de Ponto Zero, o que gera máquinas com consciência própria, como vemos no final do filme seu robô se revoltando contra ele; Os brinquedos em Toy Story seriam fruto dessa energia que se espalha em ondas, dando consciência aos objetos; Em “Procurando Nemo” vemos animais muito inteligentes capazes inclusive de ler em outras línguas, e se começa a ver um ressentimento pela humanidade, principalmente pela sua poluição e experimentos;
 
Em “Ratatouille” vemos um animal e um humano conseguindo se comunicar muito bem, além de animais cada vez mais inteligentes, e com isso alguns já com ódio da humanidade; Em “Up - Altas Aventuras” vemos como a BNL está crescendo cada vez mais, assim como uma visão mais amargurada dos animais pelos humanos, que de acordo com a teoria levaria a uma guerra entre humanos e animais, no qual a humanidade venceria com ajuda das máquinas, e com os humanos sendo mandados ao espaço pouco depois disso, época que traria “Carros” em cerca de 2100/2200;
 
“Wall-E” se passa já quando os humanos não vivem na terra há muitos anos, o robozinho, que por sua amizade com uma barata mostra que ainda há espécies de insetos no planeta, encontra uma planta que causa a volta dos humanos a terra, e nos créditos mostrando a planta já como uma árvore, vemos que é uma árvore igual à do começo de “Vida de Insetos”; E por fim o excesso de radiação causado pela BNL teria causado acidentalmente uma extinção dos humanos, o que levaria a monstros mutantes serem a raça dominante do planeta como vemos em “Monstros S.A” e as portas dos filmes, não levariam a outras dimensões mas sim ao passado, que no final são utilizados risos de crianças para conseguir energia em vez do medo, e a boo marcada pela experiência do início da infância, passaria a vida obcecada em encontrar o Sullyvan e  teria descoberto a magia e o jeito de utilizar a porta para viajar no tempo, se tornando eventualmente, isso mesmo, a bruxa de “Valente”, que por sinal tem uma imagem do Sullyvan escupida em sua casa. 
 
Os filmes que não foram citados são em artigos maiores sobre, mas foquei mais nos principais para história. E obviamente isso é só uma teoria e tudo isso podem ser só auto referencias, as centenas de vezes que personagens de outros filmes do estúdio aparecem ou são citados, mas pessoalmente, eu acho essa forma de ver muito mais interessante.