"Cultura é indústria, emprego, renda e economia", diz Rômulo Sckaff

13/04/2021

Por: Jessyanne Bezerra

 

No programa Papo Potiguar, apresentado por Geraldo Pinto, foi tratado o tema do audiovisual durante a pandemia. O convidado para fala mais sobre é o Rômulo Sckaff, diretor e produtor audiovisual.

Assim como os setores do turismo, bares, restaurantes, shoppings, vestuário e tantos outros, o mercado audiovisual foi mundialmente afetado pela Covid-19 e, em decorrência dela, pelos meses de paralisação. “No mundo inteiro, o audiovisual passa por uma significação gigantesca. Nessa pandemia, então, o audiovisual trouxe várias opções para as pessoas consumirem”, afirmou Rômulo Sckaff.

Sobre o “film commission”, que é uma organização, normalmente estatal ou paraestatal, que se dedica a atrair e incentivar a realização de produções audiovisuais no seu local de atuação, Rômulo Sckaff declarou: “Essa é a ideia que deveríamos estar implementando aqui no estado. A quantidade de produções cinematográficas, de séries, de conteúdo para internet que se faz é gigantesca” e complementou “ Um exemplo disso é o filme ‘Bacurau’, filme de produção pernambucana e que foi rodado aqui em Parelhas. Só na sua produção, o filme deixou na cidade de Parelhas quase R$ 2 milhões e o filme teve o orçamento de R$ 11 milhões”.

E por fim Rômulo Sckaff esclarece: “Precisamos ver o tamanho do potencial econômico que existe por trás do filme. Cultura é indústria, emprego, renda e desenvolvimento econômico”.

Para saber mais, veja a entrevista completa: https://youtu.be/vw0aol67AFw