RN alcança a maior taxa de alfabetização dos últimos 30 anos

24/05/2024 10h51


RN alcança a maior taxa de alfabetização dos últimos 30 anos

Foto: Sandro Menezes - Assecom/RN
 
O Rio Grande do Norte (RN) atingiu uma taxa de alfabetização de 86,14% entre a população de 15 anos ou mais em 2022. Este resultado, apresentado pelo Censo Demográfico 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), marca o maior índice dos últimos 30 anos. Em contraste, a taxa de analfabetismo no estado é de 13,86%.
 
Comparando com os dados de 1991, quando a taxa de alfabetização era de 65,1%, o RN apresentou um progresso significativo. No ano 2000, essa taxa subiu para 76,2%, e em 2010, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), chegou a 82,2%. Em três décadas, o estado reduziu o número de analfabetos em 21%. Atualmente, o RN tem uma taxa de alfabetização superior à dos estados do Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí e Alagoas.
 
A Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC) avalia que, apesar dos avanços, ainda há desafios a serem enfrentados. A secretária de Educação do RN, Socorro Batista, destaca os esforços feitos para aumentar a alfabetização, especialmente entre jovens e mulheres. “Há progressos significativos que alcançamos em termos de alfabetização, especialmente entre os jovens e as mulheres. No entanto, reconhecemos que ainda há muito trabalho a ser feito para garantir que todos os cidadãos, independentemente de raça, idade ou gênero, tenham acesso à educação de qualidade”, ponderou a secretária.
 
Disparidades por Gênero e Raça
 
Uma análise detalhada dos dados revela disparidades significativas. As mulheres, em geral, têm uma taxa de alfabetização mais alta (88,69%) do que os homens (83,35%). Entre as mulheres, as brancas lideram com uma taxa de 90,98%, seguidas pelas pardas (87,99%) e amarelas (87,02%). As mulheres pretas têm a menor taxa de alfabetização entre as mulheres, com 82,91%.
 
Nos homens, a taxa de alfabetização é mais baixa em todos os grupos raciais. Homens brancos têm uma taxa de 86,75%, seguidos pelos amarelos (83,76%) e pardos (82,25%). Homens pretos apresentam a menor taxa, com 77,35%. Esses dados indicam que políticas de educação precisam focar em grupos raciais menos favorecidos para equilibrar esses índices.
 
A população indígena do RN tem uma taxa de alfabetização de 78,50%, significativamente abaixo da média estadual. Com 21,50% dos indígenas não alfabetizados, fica clara a necessidade de programas educacionais mais direcionados e culturalmente adaptados para essa população. Esses programas estão em discussão a nível nacional por fóruns representativos e pelo Ministério da Educação.
 
Análise por Faixa Etária
 
As taxas de alfabetização variam conforme a faixa etária. Entre jovens de 15 a 19 anos, a taxa é de 97,28%, e entre aqueles de 20 a 24 anos é de 96,96%. Nas faixas de 25 a 34 anos e 35 a 44 anos, as taxas são de 95,86% e 91,18%, respectivamente. No entanto, entre os indivíduos de 45 a 54 anos, a taxa cai para 82,66%. Esses dados sugerem melhorias na acessibilidade e qualidade da educação ao longo do tempo, mas também ressaltam a necessidade de programas voltados para adultos e idosos.
 
Iniciativas da SEEC
 
Uma das ações da SEEC para enfrentar esses desafios é a Política de Superação do Analfabetismo, que, em sua primeira edição, alfabetizou mais de 10 mil potiguares em 113 municípios. A análise das taxas de alfabetização no RN mostra um cenário positivo, com altas taxas entre jovens e mulheres, mas também destaca a necessidade de inclusão educacional para populações indígenas e idosos.

Fonte: Com informações de IBGE e ASSECOM/RN