Cefas Carvalho

17/07/2019
 
Parnamirim 2020: Boataria e ´balões de ensaio` sobre pré-candidaturas
 
Eleições municipais são muito mais quentes do que as eleições estaduais e federais, isso é público e notório. E via de regra, começam mais cedo. Com tanta antecedência que permite o desenvolvimento de particularidades bem comuns nas campanhas municipais: boatos e especulações.
 
Em Parnamirim, essa vem sendo a tônica. Nos intramuros do poder, nos corredores da Câmara Municipal, nos campos, nas ruas, escolas, construções, parafraseando Geraldo Vandré, só se fala na disputa municipal de 2020. Mas, tão cedo cedo assim, o que é fato e o que é boato?
 
O fato é que o prefeito Rosano Taveira é candidato natural á reeleição, claro, entre erros e acertos, ações e contradições. Também é válido acreditar que lideranças da oposição têm espaço entre possíveis candidaturas, como o ex-deputado estadual e atual presidente da Jucern Carlos Augusto Maia. Os dois que disputaram em 2016, por sinal, com Taveira vencedor e Carlos em segundo lugar,
 
Existem pré-candidaturas colocadas no tabuleiro político. Como a da vereadora de oposição Professora Nilda Cruz, ou a do professor Iran Padilha. Nomes como os do tabelião Airene Paiva (embora do mesmo partdo de Carlos, PC do B), Walter Fernandes (PDT) e Ricardo Gurgel, não devem ser descartados.
 
Entre "não-políticos", ventila-se o nome do jornalista José Pinto Júnior, companheiro de Potiguar Notícias, e do empresário e professor Daniel Américo. 
 
São nomes que vem se posicionando no xadrez político, assumindo pré-candidaturas ou ao menos dialogando com a comunidade e sendo cogitadas por lideranças políticas estaduais.
 
Mas, para além disso, percebe-se o exercício da boataria, da plantação de nomes, chapas e possibilidades sem qualquer vínculo com a realidade.
 
Claro que na pré-campanha a temporada dos boatos é aberta, mas há que se acautelar, sob risco de acreditar no que não tem qualquer substância e de repassar as famigeradas fake news.
 
Registrando que em pré-campanhas também existe a tática do ´balão de ensaio`, que consiste em criar uma candidatura ou uma chapa e jogar na mídia (e nos grupos de Zap) para ver "se cola".
 
Geralmente, não cola. Mas embola o meio campo, como s ediz no jorgão do futebol.
 
Por falar em futebol, o fato é que não chegamos sequer ao aquecimento da partida. O jogo ainda tem tempo para começar. boataria à parte.