Papo rápido com o economista e professor Wellington Duarte

23/08/2017

Por: José Pinto Júnior
Foto: Redação do PN
O sr. tem escrito sobre a estagnação da economia brasileira. Há saída?
Vivemos uma crise do Capitalismo a nível de mundo. As medidas que observamos no Brasil fazem diminuir o poder de compra do trabalhador, isto prejudica a economia por reduzir o consumo.
 
Da para comparar o Brasil com qual país no atual cenário?
Está comparação está difícil de fazer. Mas teríamos que olhar para os países do BRICS. Mesmo assim a China cresce 5 por cento , enquanto o Brasil está estagnado.
 
No caso do Rio Grande do Norte, qual o caminho que o senhor sugere para alcançar o desenvolvimento?
Na balança comercial do Rio Grande do Norte o que se vê são produtos de baixo valor agregado. Aqui se produz o melão e vende dando apenas um banho.
 
Seria necessário uma indústria agregada a matéria prima, como neste caso a produção de sucos , caixas, rótulos?
Sim. Seria necessário.
 
Qual Estado do Brasil, o RN deveria observar?
O Maranhão está criando zonas de desenvolvimento interessante. Mesmo sendo um Estado mais pobre que o Rio Grande do Norte.
 
Se eu entendi o caminho é a indústria?
Sim. A indústria é vetor de desenvolvimento.