Provedores regionais incentivam crescimento da banda larga fixa

12/03/2019

Por: Redação PN
Foto: Reprodução
Os provedores regionais de Internet foram os principais responsáveis pelo crescimento do acesso fixo à Internet no Brasil. De acordo com a  Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o serviço de banda larga fixa teve um crescimento de 6,1% nos últimos doze meses. Cerca de 90% desse aumento foi registrado pelos provedores regionais. Em janeiro, 31,1 milhões de contratos estão ativos e destes, 7,4 milhões são clientes de provedores regionais.
 
A Anatel classifica essas empresas como Prestadoras de Pequeno Porte (PPP) – aqueles com “participação de mercado nacional inferior a 5% em cada mercado de varejo em que atua”. Juntas, as PPPs adquiriram em janeiro mais 1,6 milhão de clientes – um aumento de participação de 28,5%.
 
Como associação que apoia os provedores regionais de Internet, a Anid (Associação Nacional para Inclusão Digital) promove em Natal o Road Show Infraestrutura da Internet nos dias 28 e 29 de março, no Sebrae-RN, em Lagoa Nova. A programação é voltada para esses empreendedores, para técnicos e estudantes na área de redes. No primeiro dia traz o Curso de Fusão de fibra óptica e no dia seguinte, o Encontro de Provedores de Internet, com atividades em Projetos de FTTH, segurança na Internet, regulamentaç ;ão, financiamento, empreendedorismo para provedores.
 
O evento tem o apoio do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br/NIC.br). Empresas parceiras, além do Sebrae-RN, a A IBRTEL, fabricante de estruturas metálicas, vai sortear um suporte para bobina de fibra óptica própria para transporte em veículos; e a Antena Parts estará presente expondo seus produtos e prepara itens especiais para sorteios.
 
No Rio Grande do Norte, 34,8% dos domicílios possuem banda larga fixa, contra uma média de 44,8% no Brasil. O estado brasileiro mais conectado por tecnologias fixas é São Paulo, onde 66,9% dos domicílios possuem esse tipo de acesso.
 
Para Percival Henriques, da Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid), esses empreendedores são os responsáveis pela inclusão de pessoas que moram em locais onde as grandes operadoras não atendem. “Houve uma tendência das operadoras de grande porte em operar serviços de acesso móvel à Internet, como o 3G, o 4G. Com isso, mais da metade dos brasileiros não tinham uma operadora que pudesse atendê-los. Vemos esse quadro mudando a cada mês por causa dos provedores regionais, que são aqueles técnicos que estão nas ruas passando fibra óptica ou estendendo suas redes até o interior usando radiofrequência”, argumenta Henriques.