Bolsa brasileira em queda após instabilidade política criada por Bolsonaro

14/09/2021

Por: Jessyanne Bezerra

 

Desde o dia 8 de setembro a IBOVESPA, o principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, está despencando, com os operadores elevando a cautela após a repercussão de atos antidemocráticos de 7 de setembro e novos ataques do presidente Jair Bolsonaro aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Após as falas golpistas do presidente Jair Bolsonaro, o principal índice da bolsa teve queda de 3,78% a 113.413 pontos. É a maior queda diária desde o dia 8 de março, quando o STF anulou as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O cenário de instabilidade política criada por Bolsonaro fez com que os investidores tivessem forte aversão e desencadeando a sensação de risco no mercado.

Os Investidores ainda experimentaram uma sensação de déjà vu com a mobilização de caminhoneiros, que se somou ao rol de adversidades que tem minado as ações locais e incluem uma inflação elevada e uma crise hídrica.

No dia 10, O Ibovespa (IBOV) fechou em queda, acumulando uma semana negativa, marcada por forte volatilidade em meio a preocupações com a situação político-institucional no país.

 

Como funciona a Ibovespa?

Índice Bovespa é o mais importante indicador do desempenho médio das cotações das ações negociadas na B3 - Brasil, Bolsa, Balcão. É formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses. 

Esse é o principal indicador de desempenho médio das ações listadas. Basicamente, esse índice é uma carteira teórica de ações que contém os ativos que movimentam os maiores volumes de negociação, algo em torno de 80% do total diário.

De uma maneira geral, a pontuação da bolsa expressa as expectativas dos investidores e representa o ânimo do mercado.