Falta de médicos para cirurgias eletivas é criticada por vereadora, que cobra reposição

21/04/2022


 

“Eu não irei aceitar que mais mulheres morram em Parnamirim por falta de médicos e cirurgias eletivas. Não iremos mais permitir”, informou a vereadora Fativan Alves após receber uma denúncia que os procedimentos não estariam acontecendo devido à falta de médicos no município. Ela relembrou o caso de uma outra cidadã parnamirinense, que teve seu nome preservado em respeito à família, que morreu a espera de cirurgia. 
 
A parlamentar também relatou durante sua fala no plenário da Câmara Municipal de Parnamirim a situação da vendedora Ivanize da Cruz Soares, que vem sofrendo com uma grave hemorragia e não foi operada devido à ausência de um médico para realizar o procedimento de histerectomia total.
 
“Nosso mandato ficou sabendo da situação da Ivanize da Cruz, que vem passando pelo descaso do nosso município. Ela só conseguiu o seu primeiro atendimento em São Miguel do Gostoso por causa de um parente, invés de Parnamirim. São mais de 120 quilômetros para buscar o atendimento que não se tem aqui. É um absurdo o que esta filha da nossa terra vem passando”, denunciou a vereadora.
 
A parlamentar informou que após a constatação da hemorragia, a vendedora retornou ao nosso município já em busca de realizar o procedimento e seu calvário teve início. Devido ao sangramento, a mulher não conseguia trabalhar devido as dores e o constrangimento, pois a hemorragia foi aumentando gradativamente até que necessitou de internação na Maternidade Divino Amor.
 
Ao saber que não faria o procedimento, a vendedora iniciou uma greve de fome e se recusou a deixar a unidade de saúde até que ela fosse atendida. Após muita conversa e a garantia que ela teria prioridade, ela deixou a Divino Amor. Porém ao buscar o procedimento na Secretaria Municipal de Saúde (SESAD), a comerciante descobriu que a única médica responsável pela realização das cirurgias eletivas “estava de férias” só retornaria no mês de maio.
 
“É um absurdo o que esta administração vem fazendo com as nossas mulheres. Como presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Mulheres, não posso permitir que mais mulheres passem por esse tipo de situação. Que a SESAD agilize a contratação de outro médico, mas o que não podemos é deixar outra mulher morrer pelo descaso da Prefeitura”, comentou Fativan Alves.  
 
A Pevista já encaminhou a indicação 300/2022, que solicita ao município de Parnamirim a realização de um mutirão de cirurgias eletivas para diminuir a fila de espera para realização dos procedimentos.