31 municípios do RN estão ameaçados pelas mudanças climáticas, alerta Ubaldo Fernandes

24/05/2024 10h10


31 municípios do RN estão ameaçados pelas mudanças climáticas, alerta Ubaldo Fernandes

Foto: Reprodução / ALRN
 
Na sessão plenária desta quinta-feira (24) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, o deputado Ubaldo Fernandes (PSDB) chamou a atenção para um relatório do governo federal que identificou 31 municípios do estado como suscetíveis a riscos climáticos. Esse estudo destaca a crescente ameaça de desastres ambientais e naturais devido às mudanças climáticas.
 
“A crise climática no Rio Grande do Sul ligou o alerta em todo o Brasil, já que as mudanças climáticas têm aumentado a ocorrência de desastres ambientais e naturais. Os estudos divulgados pelo governo, com mapeamento dos milhares de brasileiros suscetíveis a ocorrências de alagamentos e deslizamentos, estão em quase 35% dos municípios”, disse Ubaldo Fernandes, expressando preocupação com a situação.
 
O deputado explicou que o estudo foi solicitado em função das obras previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que visa investir em infraestrutura em todo o país. O objetivo é identificar os municípios que precisam ser priorizados para receberem essas intervenções.
 
“Nesse estudo o governo federal identifica os municípios mais suscetíveis a ocorrências e no RN a plataforma aponta para 11 mortes e mais de 17 mil pessoas desalojadas entre 1991 a 2022 aqui no RN”, relatou o deputado.
 
Além dos alagamentos e deslizamentos, Ubaldo destacou outros desastres naturais ocorridos no estado, como a queda de falésias, ocorrida em Pipa. “Segundo o geógrafo Rodrigo Freitas, o estudo é importante para as obras do PAC. Contudo, um aspecto preocupante é que as falésias, por exemplo, sofrem erosão. Quando os desastres acontecem, os municípios decretam calamidade e fazem arrimos, que podem gerar outros problemas de corrosão costeira e para o meio ambiente”, alertou o deputado.
 
Ubaldo Fernandes finalizou seu discurso enfatizando a necessidade de ações preventivas e de uma melhor coordenação entre a Defesa Civil e os órgãos responsáveis pela prevenção de desastres. “Faço o alerta porque o RN tem recebido chuvas além do necessário”, concluiu.

Fonte: Com informações de ALRN