Andrea Nogueira

20/06/2020
 
Diálogos
 
 
DIÁLOGO 1
 
_ Oi, eu preciso fazer uma denúncia.
_ Pois não, sra.
_ Fui violentada sexualmente agora a pouco.
_ A sra. estava usando esta roupa decotada?...
 
DIÁLOGO 2
 
_ Oi, eu queria tirar uma dúvida.
_ Humm, claro sra! Fique à vontade.
_ Que tipo de violência física deve ser denunciada à polícia?
_ Ah... é importante que você denuncie qualquer violência que coloque em risco sua vida.
_ Humm... to entendendo... Se o meu marido me der um empurrão ou um tapa eu devo denunciar?
_ Bem, depende do contexto... Será que a sra. não tirou a paciência dele?
 
DIÁOLGO 3
 
_ Oii, eu tenho uma dúvida.
_ Pois não, sra.
_ É o meu marido quem administra todo meu salário desde que comecei a trabalhar. Inclusive é ele quem fica com o meu cartão do banco.
_ Sei... A sra. gostaria de administrar seu salário?
_ Sim, gostaria.
_ E a sra. sabe administrar?
 
DIÁLOGO 4
 
_ Oiii... queria contar uma coisa...
_ Certo, estou aqui para ajudá-la.
_ É que meu marido me bateu muito ontem. Estou toda machucada. Sinto muitas dores. Tenho vergonha, mas não sei o que fazer. Ele estava muito bêbado...
_ Acho que a sra. precisa rezar pelo seu marido. Se ele parar de beber, pode ser que pare de bater também.
 
 
Quanto mais o ser humano faz uso de sua liberdade, mais ele a desafiará. Quem muito usufrui da ausência de submissão corre o risco de ser incompreendido, julgado e pressionado a voltar à incapacidade de agir por conta própria. 
 
Os diálogos acima transcritos são muito comuns, pois julgar a mulher que sofre violência doméstica faz parte do cotidiano de uma parcela considerável de pessoas, dentre desconhecidos, familiares, amigos. Mas é preciso compreender, silenciar diante da incompreensão, apoiar, encorajar, estar perto para escutar ou para agir em conjunto. É preciso multiplicar o conhecimento e dar a todas as mulheres que sofrem com qualquer tipo de violência doméstica e familiar a chance de conseguirem sair dessa situação tão incoerente. 
 
Não é apenas a violência física ou sexual que machuca e aniquila. A violência patrimonial, a psicológica e a moral também tem grande potencial destruidor. Já dizia Francis Bacon: "o conhecimento é em si mesmo um poder". Que possamos empoderar todas.