Alfredo Neves

14/07/2020
 
O toque rítmico e poético na arte de Socorro Evangelista
 
Maria do Socorro de Oliveira Evangelista, nasceu em Caiçara-PB, vindo para o Rio Grande do Norte ainda na infância, onde residiu na cidade de Macaíba-RN, lá foi registrada como filha natural da cidade. Passou um tempo em Natal, logo em seguida, foi para a cidade de Macau, aos seis anos de idade. Dois anos depois, fazendo o caminho de volta, a família decide morar em Natal, onde Socorro Evangelista inicia os estudos na terceira série no Colégio das Neves e a quarta série no Sagrada Família. Já aos 14 anos de idade, como que seguindo um destino promissor e importante para a família e para a própria Socorro Evangelista, o seu pai, sr. Graciano Francisco de Oliveira, conhecido como Pedro Sapateiro, comerciante e incentivador cultural de repentistas em toda a região do Vale do Açu, e a sua mãe dona Laura Maria de Oliveira, decidem novamente retornar e fixarem residência em Macau. Até nos dias atuais, o nome Pedro Sapateiro e os seus feitos são reconhecidos por todos os macauenses que o conheceram e conviveram com o mesmo, tendo inclusive um livro de cantoria em sua homenagem, que tem como título: “A Peleja de Pedro Sapateiro com João das Redes”, 2015, de João Eudes Gomes. 
 
Podemos afirmar que ao chegar em nosso estado, Socorro Evangelista se tornou cidadã em diversas cidades, cidadã no sentido de ter convivido e passado por cidades e que nelas produziu obras fantásticas e fundamentais para a cultura local, e, notadamente, com participação fortíssima na Região Salineira, principalmente na cidade de Macau, recebendo o troféu “Moinho do Sal” em 1997 e o merecido  título municipal de cidadã Macauense em 2004. O título, uma honraria e concessão perpétua aos que na cidade desenvolveu, participou e deixou plantadas raízes para o desenvolvimento cultural, social e político do município, é orgulho até hoje para ela.  A artista plástica e poeta, nos anos 60, pode ainda morar um tempo em Pendências, onde lá fundou uma escola preparatória para o vestibular, juntamente com o seu esposo Geraldo Lucas Evangelista e padre José Luiz Silva (Padre Zé Luiz). O seu esposo, à época, foi então convidado pelo Monsenhor Padre Penha (1926 – 2011), para a direção do Ginásio N.S. da Conceição, já que o Monsenhor iria terminar o seu mestrado, permitindo então a fixação de Socorro Evangelista no município maior produtor de sal do Brasil. Atualmente o Ginásio tem como nomenclatura CEIMH – Centro de Educação Integrada Monsenhor Honório, e carinhosamente os macauenses aprenderam a chamá-lo de Colégio do Padre.
 
Devido a essa forte ligação afetiva e de ação na cidade de Macau, Socorro Evangelista consolida a sua passagem com o nascimento de dois dos seus quatro filhos no município, sendo eles: Caius Marcellus de Oliveira Evangelista e Ícaro Alexandro de Oliveira Evangelista, e as meninas nascidas em Natal:  Kadja Christine de Oliveira Evangelista e Sarah Christiane de Oliveira Evangelista. Todos são frutos do seu casamento com Geraldo Lucas Evangelista, um intelectual e historiador macauense, seminarista do Seminário Maior da Prainha em Fortaleza e contemporâneo de nomes importantes como Dom Jaime e Monsenhor Lucas.  Como professor brilhante, Geraldo Lucas, ou Geraldão, como era carinhosamente chamado pelos amigos e pessoas da sua estima, lecionou ainda nos colégios Ferro Cardoso, Hipócrates e diversos cursinhos importantes em Natal, onde juntamente com o Monsenhor Penha, que teve grande influência na sua formação, criaram o grupo de escoteiros da UFRN. Foi também um dos professores pioneiros da aula itinerante de Natal, conhecedor de vários idiomas, entre eles latim, grego e espanhol, teve em 2017, numa justa homenagem, um Espaço Cultural na Praça Central do Conjunto Neópolis com o seu nome. Geraldo Lucas Evangelista nasceu 1944 e faleceu em 2010, deixando muitas saudades para os seus familiares e para todos que o conheciam.
 
Socorro Evangelista chega em definitivo para Natal em 1970, onde recebe convite para ensinar no Colégio das Neves, mesma escola em que estudou na infância.  Logo depois, já no início dos anos 80, através de concurso, é admitida na UFRN como professora assistente, passando um tempo no Museu Câmara Cascudo, na área da pesquisa da Antropologia Cultural. No museu cria um grupo de estudos ao lado da professora Ivanilda Pinheiro, Raimundo Teixeira e José Crispim, onde no Programa Bolsa-Trabalho-Arte do MEC, o grupo pôde trabalhar as pesquisas e os trabalhos culturais. Em seguida se fixa no DEART – Departamento de Artes, assumindo várias disciplinas e muitos projetos de extensão, ficando no DEART até a sua aposentadoria. 
 
Sobre o seu gosto pelo que faz, a artista plástica e poeta, fala que desde criança se identificou rapidamente pela arte, por essa razão, ainda em Macau, assumiu a Cadeira de Arte de dona Eunice Galvão, no Ginásio N.S. da Conceição. Segundo Socorro Evangelista ela teve essa influência de Dona Eunice, do seu pai e do seu avô, que era descendente de portugueses judeus e que tocava rabeca. Ao longo do tempo pode trabalhar muitas técnicas, realizando cursos em São Paulo pela Escola Dom Bosco de Belas Artes, que permitiu alavancar a carreira como pintora.  Participou ainda de inúmeras exposições de arte, tanto em Natal, no Rio de Janeiro e em Toronto no Canadá. Na área da poesia tem uma paixão muito forte pelas letras. Ainda jovem, pode apresentar os seus poemas para o açuense, radicado em Macau, o poeta, acadêmico e advogado Gilberto Avelino, onde os lia e elogiava os seus escritos, incentivando-a, a prosseguir também na carreira poética. Gosta muito de balé, onde compôs, nos primórdios, a primeira turma de balé do Roosevelt. 
 
Ademais, Socorro Evangelista é Mestre em Ciências Sociais- UFRN e tem um doutorado inconcluso, pois por motivo de saúde não pode concluir este grau acadêmico. Foi professora especialista em ensino de Arte- DEART/ UFRN. Pintora, aquarelista, cofundadora do grupo de aquarela e pastel da UFRN (GUAP). Pesquisadora de artes e papel reciclado. Laureada com prêmios em pintura, escultura e poesia. Sempre presente em exposições individuais e coletivas de arte. Autora de livros publicados: ARTE OLEIRA DO RN (1980) e TECENDO PAPÉIS (2015), uma viagem pelos saberes e práticas do ensino da arte UFRN. Ilustradora de livros; participou em Antologias Literárias. Membro da ALAMP (Associação Literária Artística da Mulher Potiguar). Coralista do grupo SINTAMOR-UFRN e do projeto de Teatro SINTAMOR-UFRN. Atualmente desenvolve projetos voltados a arte e cultura do RN. Artista Plástica. Membro da Luminescence Académie Française dês Arts Lettes Et culture, onde foi inclusive homenageada num encontro internacional em Búzios no RJ, premiada que foi tanto para as artes com o Prêmio Tarsila do Amaral, nos melhores do ano em 2019, e nas Letras com o Prêmio Monteiro Lobato. A artista recebeu ainda três prêmios na área da escultura e prêmios em Natal num concorrido salão de Artes, da Fundação José Augusto.
 
A técnica de Socorro Evangelista caminha por estilos conhecidos na História da Arte. A sua pintura é harmoniosa e mistura elementos do regionalismo, com temas figurativistas, tropicais e multicoloridos que aprazem aos nossos olhos. A transição por várias escolas pode ser percebida em suas obras, onde encontramos, se bem analisadas, a Arte Primitiva, ou Naïf, o Expressionismo e, mais apuradamente, um Surrealismo contemporâneo e moderno, como em sua tela “Natureza” (1980), onde um maturi repousa no ventre do cajueiro aguardando pacientemente a sua transformação em fruto para degustação. De várias e belas pinturas de Socorro Evangelista, destaco as seguintes: “Devaneius”, Acrílico Sobre Tela, 77 x 1,07 mts (2000); “Chão de Estrelas”, Acrílico Sobre Tela, 80 x 40 cm (2011); “Lágrimas do Azul”, Aquarela, 20 x 30 cm (2011); “Poesia ao Luar”, Aquarela Sobre Papel, 20 x 90 cm (2016); “Xananas na Janela” Acrílico Sobre Tela, 70 x 60 cm (2018); “Ponta Negra”, Acrílico Sobre Tela, 20 x 80 cm (2014); “Pavão Misterioso”, Óleo Sobre Tela, 1m x 50 cm (2019); “Natureza”,  Óleo Sobre Tela, 60 x 45 cm (1980); “Autorretrato”, Aquarela e Nanquim, 30 x 20 cm (2009).
 
Todos os movimentos acima citados encontram-se em diversos artigos em minha coluna, os interessados poderão pesquisar na lista do Potiguar Notícias. Os nossos agradecimentos a Socorro Evangelista e ao seu filho Caius Evangelista pelas informações repassadas no momento que precisei da resposta deles. Com isto concluo repassando aos leitores, mais uma excepcional artista plástica das artes em nosso estado do RN. 
 
Fonte de pesquisa: 
Informações repassadas por Socorro Evangelista e Caius Marcellus de Oliveira Evangelista.