Emanuela Sousa

31/01/2021
 
O lado sombrio de cada um de nós
 
 
De vez em quando a gente se esquece de lembrar que ainda somos humanos, vivemos no piloto automático. 
 
De vez em quando a gente esquece  
 
 as chaves em cima da mesa, de olhar o calendário, de marcar a consulta e principalmente de ter um olhar para nós mesmos. 
 
Para isso existe dentro de nós o lado escuro e um lado luminoso. Como existe a aurora e o crepúsculo, o dia e a noite, também existe um lado luz e um lado sombra em cada um de nós. 
 
Quando falo que habita em nós um lado mais escuro é justamente onde estão escondidos  nossas crises, excessos, imperfeições, vaidades e alguns pré julgamentos. Não que seja considerado um lado "malvado", mas talvez algo que precisamos estarmos atentos e filtra-lo para estar lado a lado com nossas virtudes.
 
Perceba que, por exemplo, constantemente apontamos o dedo para as falhas do outro, em outros momentos lançamos palavras que pesam, machucam o coração alheio, fazemos comentários sem pensar e  julgamentos até à quem nem sabe da nossa existência... Diante de tudo isso tenho uma triste notícia: tudo isso é  tóxico. 
 
Não sabemos em até que ponto nosso lado sombra pode afetar o outro. Em nossa vista um comentário pode soar como inofensivo, mas para a outra pessoa que escuta pode ser sinal de feridas sendo abertas e gatilhos sendo produzidos. Quantas vezes matamos pessoas com dizeres desnecessários (inclusive sobre peso, estilo, cabelo e etc.) que ao invés de ajudar acaba abrindo uma ferida interna? Posso lhe afirmar que com certeza foram milhares, e o pior: você nem percebeu.
 
[Pare e reflita sobre isto]. 
 
Nessas horas é importante olhar com mais cuidado para nossa sombra e verificar se ela afeta, mesmo que indiretamente a quem nos rodeia. Este lado que pouco está visível, de difícil acesso, mas nunca é inexistente.  É muito mais fácil identifica-la nos outros, e mais difícil em nós. 
 
Abstenho-me já há um tempo minhas palavras, por muito tempo feri pessoas através de atos e palavras, por algumas vezes joguei espinhos em quem esperava flores de mim. 
 
Que a gente tenha empatia pelos sentimentos alheios, que a gente assuma de vez a responsabilidade de que nós também podemos ser tóxicos a quem nos ama. 
 
O problema nem sempre é a sombra do outro, o problema às vezes é a nossa.