Emanuela Sousa

27/03/2022
 
Escrevendo sobre Lobos 
 
 
Outro dia assisti a um documentário sobre lobos, e como vivem. Nunca tinha me interessado sobre essas criaturas, apesar de achar bastante intrigantes, não só para mim como intriga a maioria dos pesquisadores. 
 
O primeiro fato que me deixou bastante curiosa é como eles são seres incrivelmente inteligentes. Na comunicação humana, costumamos achar que só a escrita e fala basta, mas, no caso dos lobos, ambos se comunicam entre si através dos olhar, dos sons e da linguagem corporal. 
 
Outro fato que me chamou a atenção, é que eles permanecem com apenas um(a) parceiro (a) durante vida toda. Quando seu cônjuge morre, procuram outro. Isso me fez pensar sobre a lealdade na humanidade...  Quantos de nós faríamos o mesmo por alguém até os dias de hoje? Acredito que ainda exista os que permanecem até que "a morte nos separe", belos, mas raríssimos... 
 
Rápidos, inteligentes, leais, se protegem e protegem os seus, ao chegar no final do documentário cheguei a conclusão que falta um pouco do espírito dos lobos nossa raça humana. 
 
Em tempos atuais que a cólera e intolerância corre em nosso país, ainda falta inteligência (e preparo psicológico) para nos proteger daqueles que insistem em nos contaminar com suas ideias recheadas de preconceito encoberto. A manipulação bem feita em voz de veludo segue firme caindo no ouvido da nova geração de crianças e jovens. 
 
Ainda falta nos lealdade a nós mesmos, sagacidade e sexto sentido para nos proteger.
 
Acho bom nos cuidar e cuidar dos nossos, nunca sabemos onde o perigo se encontra. Ainda arrisco em dizer que nos falta sangue nos olhos e agilidade para correr em busca dos nossos direitos. 
 
Não que eu ache que estejamos no caminho errado, mas todas essas qualidades somente eles, lobos, ainda mesmo que extinção, podem nos ensinar.