Andrezza Tavares

26/05/2019
Semana da Pedagogia:  
Em que pressupostos essa ciência da educação se sedimenta?
 
     
 
Por Andrezza Tavares e
Luciano Santos
 
 
     A partir da sociedade moderna, com o despontar das indústrias, um novo contexto histórico proclama a necessidade de generalização da instituição social escolar. Uma série de intenções pedagógicas se sucedem com vista ao atendimento desse novo ideário que alarga a valorização  dos espaços escolares.
 
      Inicialmente, a pedagogia tradicional, depois, a pedagogia nova e, no curso da história, as pedagogias que superam os reducionismos das anteriores. Dentre essas últimas, a tendência crítica social dos conteúdos que é proposta a partir da síntese de pontos das Pedagogias liberais e progressistas, superando os limites das práxis em ciências da educação e propondo novos horizontes, a partir de pressupostos em que o ser humano e o conhecimento são produções do movimento da história.
 
      Em “História das ideias pedagógicas no Brasil”, Saviani (2010), destaca que no Brasil, entre 1549 e 1799, houve um monopólio da vertente religiosa da pedagogia tradicional, quando a ordem dos Jesuítas detinha o controle da instrução pública nacional.  Embora, destaque que entre 1549 e 1599 houve uma disputa entre a pedagogia brasílica e a pedagogia tradicional. A institucionalização da Pedagogia Jesuítica se deu pelo plano Ratio Studiorum, que teve vigor entre 1599 e 1759. 
 
      A literatura da história da educação menciona que: 1) o período entre 1759 e 1932 se caracteriza pela disputa entre a vertente religiosa e leiga da pedagogia tradicional; 2) que  entre 1932 a 1969 ocorre o predomínio da pedagogia nova; 3) e que a partir de 1969 aos dias atuais, se configura uma polarização de intenções pedagógicas em que por um lado, no campo das políticas educacionais, se evidencia a ênfase no campo do pensamento liberal e, de outro lado, se evidencia a ênfase no pensamento pedagógico progressista cultivado pelo meio acadêmico (SAVIANI, 2010). 
 
      Na semana da Pedagogia a colaboração de nossa coluna é provocar o pensamento sobre a história, as contradições e os movimentos em que o campo de conhecimento da Pedagogia se sedimenta e se constrói dinamicamente.