Dra. Aline Leite Nogueira

05/12/2023 08h34

 

Dezembro Vermelho

 

O Dezembro Vermelho, campanha instituída pela Lei nº 13.504/2017, marca uma grande mobilização nacional na luta contra o vírus HIV, a Aids e outras IST (infecções sexualmente transmissíveis), chamando a atenção para a prevenção, a assistência e a proteção dos direitos das pessoas infectadas com o HIV.

Aids é a doença causada pela infecção do Vírus da Imunodeficiência Humana (o HIV). Esse vírus ataca o sistema imunológico, que é o responsável por defender o organismo de doenças. O vírus é capaz de alterar o DNA dos linfócitos T CD4+, responsáveis por nos proteger contra infecções, e faz cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.

Os pacientes portadores do HIV, que têm ou não Aids, podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam as devidas medidas de prevenção. Por isso que pedimos exame de HIV para todas as gestantes no pré natal.

Todas as pessoas diagnosticadas com HIV têm direito a iniciar o tratamento pelo SUS com os medicamentos antirretrovirais, imediatamente, e, assim, poupar o seu sistema imunológico. Esses medicamentos impedem que o vírus se replique dentro das células T CD4+ e evitam, assim, que a imunidade caia e que a Aids apareça.

O uso do preservativo (masculino ou feminino) em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais) é o método mais eficaz para evitar a transmissão das IST, do HIV/Aids e das hepatites virais B e C.

Para aquelas mulheres soronegativas que desejam engravidar de parceiros soropositivos, existe um processo chamado “preparo seminal” que limpa o sêmen do vírus HIV e insemina na parceira espermatozoides livres do vírus. Essa é a melhor forma de proteção para a mãe e o futuro bebê. Já as mulheres soropositivas podem se preparar para engravidar fazendo uso dos medicamentos antirretrovirais. Quando a carga viral dosada no sangue chegar a zero, estão liberadas para a gravidez.

Fonte: Ministério da Saúde. Saúde de A a Z

Sobre mim:
Aline Leite Nogueira, Ginecologista e Obstetra, CRM-SP 102616   RQE 33110 e 331101

Especialista e Patologia do Trato Genital Inferior e em Reprodução Assistida, sócia fundadora e Tesoureira da AMCR – Associação Mulher Ciência e Reprodução Humana do Brasil, organização sem fins lucrativos que visa levar conteúdo de qualidade e baseado em ciência para as mulheres de todo o Brasil. Também sócia proprietária e professora do PrepaRA, curso preparatório para obtenção do Título de Especialista em Reprodução Assistida.

*ESTE CONTEÚDO É INDEPENDENTE E A RESPONSABILIDADE É DO SEU AUTOR.


*ESTE CONTEÚDO É INDEPENDENTE E A RESPONSABILIDADE É DO SEU AUTOR (A).